top of page

Nosso STRESS de cada dia, precisamos falar sobre ele


No nosso cotidiano nos deparamos com muitas reações de corpo e mente que nos impulsiona ou nos paralisa. Algumas são a combinação dos dois dependendo das circunstâncias e de como lidamos com elas. O estresse é uma reação natural de defesa do organismo. Ele ocorre quando acontece a quebra do nosso equilíbrio interno, quando as demandas externas são maiores ou mais intensas do que a nossa capacidade de adaptação. O conceito da palavra estresse vem do utilizado na engenharia na qual estresse significa o máximo de peso que uma estrutura física consegue suportar sem ruir. Os seres humanos experimentam o stresse, ou percebem as coisas como desafiadoras e ameaçadoras, quando não acreditam que os seus recursos internos para lidar com obstáculos são suficientes para o que as circunstâncias exigem. Quando o indivíduo pensa que as exigências que lhe é imposta excede sua capacidade de lidar com, aí ela percebe o stresse. O estresse é vivido como uma pressão mental devido a situações ou eventos que surgem em momentos em que temos muito o que fazer e pensar, ou não temos muito controle sobre o que acontece. Depois desse período surgem acoplados vários sentimentos ou outras reações mentais e físicas como reação à pressão. O estresse é essencial para a sobrevivência. No entanto, quando esse mecanismo for acionado com muita facilidade ou quando houver muitos estressores ao mesmo tempo, ou ainda cronicamente, pode haver prejuízo na saúde mental, física e comportamental. Isso acontece porque o próprio organismo responde ao estresse liberando hormônios para ajudá-lo a enfrentar o desafio. Muitos estudos apontam fatores stress antes como positivos e outros negativos nos cotidianos, porém não é tanto a natureza se é positivo ou negativo e sim o desequilíbrio que isso causa para aquele indivíduo. Im Exemplo corriqueiro: Nasce o bebê, que pode ter sido planejado pelo casal, muito desejado etc mas essa chegada vai trazer uma quebra da rotina…mais responsabilidades, provações e sobrecarga. Essa sobrecarga vai acontecer e a pessoa pode ficar estressada por conta do acontecimento que desequilibrou a vida dela, mesmo que ele seja interpretado como algo positivo. Reações de estresse podem ser desencadeadas por fatores internos, com as demandas pessoais em relação as si mesmo, ao outro e ao mundo, além de fatores externos como mudanças e traumas, por exemplo. Não existe uma causa específica. Entretanto, alguns fatores ajudam a ocasionar o estresse: * Estar sob muita pressão e não saber lidar com ela; * Enfrentar grandes mudanças de vida; * Diferença de valores com de pessoas que convive na vida pessoal ou no trabalho; * Ter excesso de demandas assumidas sem ter recursos para dar conta; * Tempos de incerteza; * Relações interpessoais disfuncionais; * E muitos outros Importante ressaltar que pode existir uma única causa do estresse, mas em geral, ele é causado pelo acúmulo de pequenas pressões. Saber lidar com o estresse é uma habilidade que deve ser aprendida. Cada vez mais pessoas estão buscando aprender a gerenciar o próprio estresse, minimizando o impacto negativo dele na saúde física e mental. Não é possível remover o estresse da nossa vida, no entanto, é possível gerenciar nossas emoções para evitar reações negativas do estresse. Muitas pessoas confundem stress com ansiedade ou até mesmo o burnout. Existe uma linha tênue que separa estresse da ansiedade. Ambas são respostas emocionais, mas o estresse geralmente é causado por um gatilho externo. O gatilho pode ser de curto prazo, como o prazo de um trabalho para entregar, uma discussão na relação, uma impossibilidade de trabalhar, estar num ambiente tóxico ou doença crônica por e exemplo. A ansiedade, por outro lado, é definida por preocupações persistentes e excessivas que não desaparecem mesmo na ausência de um estressor. Muitas pessoas sentem ansiedade mesmo sem identificarem fatores relevantes para tal. É estar com a mente acelerada e em um tempo futuro que não se controla (o gera stress da situação sempre). Ansiedade A ansiedade transforma-se numa perturbação psicológica quando é tão intensa, frequente e duradoura que interfere com a capacidade das pessoas para lidar com situações normais do seu quotidiano a nível pessoal, familiar, social e profissional e satisfazer as suas necessidades psicológicas e fisiológicas. “Se não está nas suas mãos mudar uma situação que lhe causa dor, você sempre pode escolher a atitude com a qual você enfrenta esse sofrimento”. Burnout O Síndrome de Burnout é uma perturbação psicológica causada pelo stress excessivo devido a uma sobrecarga ou excesso de trabalho. A palavra Burnout vem do inglês e significa “queimar até ao fim”. Trata-se, portanto, de um esgotamento físico e mental decorrente de uma vida profissional desgastante e sobrecarregada, ou estendendo a outras áreas da vida de ocupações que nos estejam esgotando e traga esse esgotamento e que incapacita o indivíduo de desempenhar tarefas quotidianas tais como trabalhar ou lazer. Podemos dizer que o Burnout é uma resposta complexa ao stress profissional prolongado ou crónico. Sua reação diante do problema é o que realmente conta. Como ir aos poucos construindo pontes de cooperação e mudança consigo mesmo é o que realmente vai fazer com que controlemos e direcionemos nossos stresses e tbm identifiquemos o que nos estressa, assim como as outras questões emocionais e físicas citadas. Precisamos estar abertos as mudanças em vários âmbitos. Mudanças sao necessarias . Na vida estamos em uma mudança constante. Tudo tem um princípio e um fim e as coisas que ontem estavam, pode ser que amanhã desapareçam do nosso presente. Aceitar essa realidade nos permite viver o aqui e agora com mais tranquilidade, desfrutar do que temos nas mãos, sem nos preocuparmos em perdê-lo ou não. É muito importante aprender a fechar etapas, capítulos ou histórias das nossas vidas, porque isso é viver: Mudar, se Renovar, Reconstruir, expandir seus horizontes e não permanecer na chamada zona de conforto mais tempo do que for necessário. Existimos para gerar autoconsciência e responsabilidade sobre a nossa própria vida. Para isso, é necessário realizar um processo de aprendizagem e passar por inúmeras situações onde ela é colocada em prática. Ocupar-se de si mesmo não envolve uma atitude egocentrista, muito pelo contrário. Significa ter consciência plena de todas as nossas potencialidades e limitações. Ao experimentar a arte de cuidar de si ou o autocuidado, se potencializa a autorreflexão. Esta, por sua vez, conduz à consciência das emoções e à assimilação de experiências que integram o conhecimento. BUSQUE AJUDA! Se estiver muito difícil de lidar com stress, ansiedade e exaustores persistentes procure ajuda. Não e fácil carregar sofrimentos, angústias e tristezas sozinho. Procure um profissional para ajudá-lo nesse processo. Caroene Santos Murrary


bottom of page